Como usar Facebook para sua empresa sem inventar moda

O Facebook se mostra cada vez mais eficaz como ferramenta de comunicação e de relacionamento na internet.

Todos os dias, já de manhã, abrimos nosso perfil e vemos o que está acontecendo em nossa timeline. Aparecem diversas publicações: amigos postando fotos, parentes publicando vídeos, vizinhos reclamando do latido do cachorro na madruga, notícias, curiosidades, vídeos engraçados, outros nem tanto, enfim, muitas coisas acontecem quase que em tempo real, sobre tudo e todos.

Mas nem só de fofocas, reclamações e fotos vive o Facebook. As empresas estão presente e trabalhando. Mas o que vemos, na maioria das vezes, são fanpages que mais parecem aqueles vendedores das antigas (desculpem, nada contra a profissão, mas os tempos são outros) batendo de porta em porta tentando empurrar a todo custo um produto para o cliente.

Os tempos mudaram, as ferramentas e os formatos também, mas o objetivo principal de cada instituição é gerar lucro. E isso não quer dizer que sua empresa precisa continuar fazendo mais do mesmo até nas redes sociais. Ninguém tem mais paciência com essas “postagens quadradas”, tentando vender alguma coisa no Facebook. As pessoas buscam interação, novidades nas redes sociais, mais contato humano. Inclusive, atualmente, muito se fala da humanização das marcas em relação ao seu público, na busca de uma aproximação. E o inverso também, pessoas se transformando em marcas, mas que continuam se comunicando como pessoas.

O paulistano Carlos Castro, 40 anos, liga o computador e se conecta no Facebook. É um hábito assim como escovar os dentes quando acorda. E há um motivo: o Facebook deixou Carlos mais conhecido no meio em que atua, a Acupuntura, e alimentar essa rede social com postagens diárias, no mesmo horário, virou mais que obrigação. Virou necessidade.

Dos pacientes que chegam ao meu consultório, 20% afirmam ter me conhecido pelo Face. Desde que entrei nessa mídia social foi um ‘boom’ na minha vida profissional”, conta o acupunturista que está há onze anos no ramo e há dois no Facebook.”

Foto: Catraca Livre

Foto: Catraca Livre

Se antes Carlos era conhecido no bairro onde está seu consultório – o Acupuntura Equilíbrio -, hoje tem fãs de todos os cantos do Brasil e do mundo. São “curtidores” da fanpage que somam mais de 5.200 pessoas. O comprometimento faz com que suas publicações tenham, no mínimo, 1.500 visualizações por dia. Segundo Carlos, a média por postagens é de 10 mil visualizações e 200 curtidas. Uma delas foi compartilhada mais de 49 mil vezes e alertava sobre o perigo de se brincar com crianças pequenas puxando seu pulso, mão ou braço.

Provavelmente ele simplesmente começou a fazer isso naturalmente e incluiu à sua rotina como tarefa diária, algo imprescindível para dar certo nos seus negócios. Mas isso pode não ser igual para todo mundo e uma atuação assertiva nas redes sociais, neste caso no Facebook, com um planejamento prévio pode ajudar muito. É necessário entender quem é o seu público, como que sua empresa vai se comunicar, como os clientes interagem com você, com o seu negócio, o tipo de linguagem que será utilizada, a frequência das postagens. Tudo isso faz parte de um planejamento de Comunicação Integrada de Marketing, onde todas as ações devem estar alinhadas, sejam elas Offline ou Online.

O exemplo citado aqui, foi publicado no site Catraca Livre, é do acupunturista Carlos Castro, onde ele diz como faz uso do Facebook de forma que não pareça ser mais uma “empresa” querendo vender seus serviços e, como ele aprimorou o uso desta ferramenta como um canal de comunicação e relacionamento com o seu público, conseguindo ótimos resultados para os seus negócios.